Pages

Ninfeta perdendo o cabacinho anal.


Era feriado de páscoa e como sempre a minha família costumávamos viajar para a fazenda do irmão do meu pai, o Tio Alex, que ficava na região dos Sete Povos, interior do Rio Grande do Sul e chegando na fazenda do tio Alex, fomos nos acomodar. Depois pedi para que meu pai me ensinasse a andar de cavalo, ele negou, pedi para o Tio Alex e ele negou tambem.
Tio Alex chamou Damião, um peão da fazenda, moreno escuro, alto, muito forte, com pelos no peito,,coxas grossas apertadas naquela calça jeans velha e suja, uma camiseta branca, suja e suada, pois ele estava lavando e encilhando os cavalos, e ordenou que ele me ensinasse a montar e a galopar no cavalo, disse a Damião que me deixasse tão boa que eu poderia competir se quizesse.Claro que ele disse isso para me ver feliz e parar de incomodá-los.
Damião levou me me até os cavalos, escolheu um garanhão e ajudou me a montar no cavalo .Fiquei sentada em cima do cavalo enquanto Damião o puxava pelo ensilho, eu estava com uma calça de ginástica branca e uma camisa xadrez, meus cabelos longos estavam presos. Ele caminhou comigo por uma estrada da fazenda, guiando o meu cavalo e eu me sentido a dona do mundo.
Meu pai, minha mãe e meus tios passaram de carro por nós, estavam indo no mercado do vilarejo, que era um pouco longe da fazenda, uns 40 minutos de carro, estavam indo comprar peixe pois era Sexta-Feira Santa.
Imagine eu e Damião sozinhos naquela imensa fazenda, fiquei bem putinha em cima do cavalo, empinava minha bunda e Damião nem me dava bola.
Pedi que me ajudasse a descer do cavalo, pois estava com minha bundinha cansada, ele veio todo suado e me ajudou, joguei me em seus braços e minha boceta roçou na cara dele, estava suada e minha calça, que era branca colada, mostrava bem a minha rachadinha e inchadinha buceta.
Montei no troco de uma árvore e pedi que Damião sentasse atrás de mim e me ensinasse o movimento que eu deveria fazer com os quadris enquanto montava o garanhão. Damião sorriu e falou:
- Olha menina, não vai me complicar aqui, o que seu pai falaria se visse a gente do jeito que você quer? Iria perder meu emprego! - Eu olhei para ele e falei:
- Não precisa se preocupar, todos foram comprar peixe e eu quero muito aprender! Vai, me ensina!
Damião montou atrás de mim, encaixou suas coxas e encostou aquela pica dura, presa dentro de sua calça, e começou um lento movimento de vai e vem. E eu bem safadinha empinava meu rabo e roçava gostoso naquela pica enorme e dura. Vi que ele estava louco de tesão, pois não tirava os olhos do meu rabo.
Ele segurou minha cintura e apertou contra o corpo dele, os movimentos ficavam cada vez mais fortes e minha buceta deixava a minha calça e o tronco da árvore muito molhados. Peguei as mãos dele e levei até meus seios, senti ele apertar e dar um longo gemido, abrindo com toda força os botões da minha camisa, ele arrancou todos, e meus seios saltaram para fora. Branquinhos, macios, com os biquinhos rosas.
Fui a loucura com aquele homen suado e sujo do trabalho, ele abriu sua calça e saltou para fora uma pica enorme, grossa e muito suada, ele saiu de trás de mim, tirou me no tronco da árvore e mandou que eu chupasse todo aquele colosso de pica.
Obedeci e chupei muito gulosa, deliciando me com o cheiro e o sabor daquela pica enorme e pulsante, tirei minha calça e pedi que ele chupasse a minha buceta. Damião abaixou se, olhou para ela, e começou a lambe-la, dizendo que era a bucetinha mais linda, cheirosa e pequena que ele já havia visto, lambeu e lambeu enquanto batia uma bela e gostosa punheta. Eu já estava estourando de tanto tesão epedi que ele mete logo a sua pica na minha buceta. Damião me olhou e disse:
- Sua safada!! Você está louca?! Não vou comer sua bucetinha virgem não! Não sou nem louco! Não vai ser eu, o otário que vai tirar esse selinho, não! Quero é outra coisa!! Quero seu cuzinho!!
Eu nunca havia dado meu cu, somente a minha buceta, e ele estava achando que eu era virgem e por isso queria meter no meu cu. Disse a ele que não.
Ele me pegou no colo e disse que iria comer somente minha buceta, sorrindo, que sorriso Cinico, me colocou montada novamente no tronco, e montou atrás e mim, como eu era baixinha na época meus pés não encostavam o chão, mas os dele sim, ele tinha toda a situação sob seu controle, me curvou me fazendo abraçar o tronco, deu duas dedadas de guspe no meu cu e falou :

- Você queria aprender a cavalgar? Então hoje você vai aprender a cavalgar aqui no seu cavalo, minha égua!!
E socou todo seu cacete no meu cu que era virgem com todas as preguinhas no lugar, cravei minhas unhas na árvore que eu estava abraçada, apertei meu cu para fecha-lo, e senti aquela pica toda arrombando o meu cu, ele me segurou pela cintura e começou a bombar muito forte, puxou meu corpo contra o seu, e apertava meus seios, pegava meu grelinho com a ponta de seus dedos, e bombava com toda aquela pica atolada no meu cu.
Fechei meus olhos, e me senti cavalgando, começei a gozar muito. Eu ali sentada naquela pica dura com as mão apoiadas em suas coxas grossas e peludas, e a mão daquele homen suado masturbando meu grelinho, enquanto a outra me segurava trançando seu braço por volta da minha cintura.
Senti aquele jato quente dentro do meu cu e muito mais lubrificação, aquele pau estava bombando inchadão duro demais, estava esporrando meu dentro do meu buraquinho rosa, enchendo de gozo, olhei para baixo e via as bolas sujas de porra, aquele cavalo gritava tanto.
-Sua puta ordinária!! Agiora vem aqui limpar toda a minha com essa sua boquinha gostosa, vem!!!- Eu pulei do tronco e comecei a limpar o pau dele , chupei muito, limpei tudinho, ele me olhou e falou:
- Sentiu o gosto do seu cuzinho, sua biscate?!! É gostoso né?! Que delicia de cu é esse que tu tem, guriazinha?!
Passei a mão pelo meu cu, senti ele arrombado, abertinho e bem mohado, pedi para que ele lambesse meu cu e ele prontamente veio lamber, passou a lingua e de repente meteu sua pica novamente.
Me colocou de quatro na grama e enrabou gostoso, abria minha bundinha e socava aquele rolo groso, grande e gostoso no meu cu todo melado, eu sentia ele me invadindo ate o talo e me sentia uma verdadeira cadela vagabunda no cio sendo currada pelo seu macho.
Ele gozou novamente, tirou a sua pica para fora, enfiou a cara e me deu uma mordida forte na bunda, saiu sangue e ficou marca. Na hora eu levantei e briguei com ele, como ele poderia ter feito aquilo, ele me olhou e suado sorriu chegando perto de mim passou sua mão na entradinha da minha bucetinha e falou:
-Essa foi pra tu nunca mais esquecer quem arrombou esse cu gostoso pela primeira vez!! Vai levar essa marca para sempre, tua sorte é que não arrombei essa bucetinha, mas quem sabe eu resolvo fazer isso até domingo.
Ele levantou, montou no cavalo e saiu em direção a fazenda do meu tio, me deixando ali, nua e toda melada de porra, arrombada, eu estava que não conseguia nem sentar de tanta dor, mas estava satisfeita, me sentindo uma mulher adulta, coloquei minha roupa e voltei caminhando para fazenda. Chegando lá, a familia toda já estava de volta, meu tio chegou em mim e falou:
- Damião me disse que te deixou no meio do caminho, e que você ainda não leva jeito para montaria,mas ele prometeu vai te deixar profissional até domingo! - E toda a familia riu, mal sabiam eles que eu tinha montado e montado muito gostoso na pica enorme e gostosa daquele peão safado e tarado.

XYZ

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário