LightBlog

Conheci Camila através de um chat via mensagem de texto de celular, quando ela me disse que era evangélica e estava noiva, juro que desanime...

Evangélica safada

Conheci Camila através de um chat via mensagem de texto de celular, quando ela me disse que era evangélica e estava noiva, juro que desanimei, mas mantive o contato e ficamos só na amizade.

Trocamos fotos, ela tinha uma beleza normal: morena clara, cabelos longos e pretos e olhos da mesma cor. Ela disse que tinha gostado de me ver e que gostou mais ainda da minha cor, quase chocolate.

Falávamos-nos todos os dias e depois de 1 mês, começamos a conversar sobre intimidades. Eu não queria espantá-la, por isso a deixei bem à vontade para tocar no assunto.

Ela confessou me que ainda era virgem, que já tinha tentado perder a virgindade com seu noivo, mas ele muito conservador dizia que era errado sexo antes do casamento.

Eu disse a ela para ter calma que com o tempo ele iria acabar cedendo aos desejos dela, mas ela me disse que já tinha tentado de tudo e que estava morrendo de vontade de transar.

Foi aí que conversando mais abertamente eu perguntei se ela já tinha visto um cacete e ela disse que não, que só via o do seu irmão de 6 anos a quem ela dava banho.

Perguntei se ela queria um vídeo do meu e na mesma hora ela disse que sim. Caprichei no vídeo, minha pica estava depilada, e mandei um vídeo de 30 segundos.

Depois de receber ela me ligou e disse que queria ver ao vivo, queria sentir o calor de uma pica, mas não podia perder a virgindade. Então fiz uma proposta: se ela toparia passar uma tarde comigo num motel.

Disse também que se ela não quisesse fazer nada, eu a respeitaria. Ela surpreendeu me dizendo que para não perder a virgindade, daria o cuzinho pra mim. Aquilo foi demais!

Marcamos para o dia seguinte e sugeri que ela fosse sem calcinha e ela topou na hora acrescentando que iria com uma saia longa e bem justa. Encontramos-nos e ela estava linda. Após os cumprimentos ela pediu para eu dar uma olhada na bunda dela para ver se eu via a marca da calcinha:

- QUE marca? QUE calcinha?? - respondi zombando. Ela riu e pediu para sairmos dali logo pois tinha reparado que um rapaz a olhava muito, eu falei que ele devia ter percebido que ela não usava nada por baixo. Fomos direto para o motel.

Ela estava nervosa tentei acalmá-la dizendo que eu não faria nada que ela não quisesse. Entramos no quarto e ela foi logo ligando a TV e estava passando um filme em que uma mulher fodia dois caras.

Ela ficou vendo e para deixá-la mais à vontade falei que ia tomar um banho. Quando saí do banheiro a encontrei enrolada na toalha e com uma mão enfiada por entre as pernas, olhando fixamente a cena de DP na mulher da TV.

Eu já estava de pau duro, parei na frente dela e ela olhou o volume da pica por baixo da toalha e alisou com uma das mãos. Deu uma apertada de leve e disse que já voltava.

Quando ela voltou do banho estava completamente nua e eu pude ver a sua buceta depiladinha, linda e maravilhosa. Eu estava deitado ainda de toalha, ela desfilou pelo quarto, dando voltas e me mostrando sua bunda pequena mas bem empinada e de costas pra mim ela se inclinou pra frente e com as duas mãos abriu aquela bundinha linda.

Sentei na beirada da cama, segurei-a pela cintura, abri a bela bunda e tasquei uma lambida no cuzinho. Seu corpo estremeceu todinho e ela gemeu alto pedindo para eu lamber mais pois estava muito gostoso.

Não perdi tempo, levantei me, peguei-a no colo e carinhosamente a deitei na cama, beijando sua boca, pescoço... Antes de descer até os seios eu olhei dentro dos seus olhos e perguntei se estava gostoso.

Ela respondeu que estava uma delícia, então tratei de mamar naqueles peitinhos pequenos... Ela gemia gostoso e pediu para ver o meu pau.

Levantei-me e ela sentou na beirada da cama olhando em meu rosto e puxando a toalha. Quando ela tirou, minha pica saltou na cara dela, batendo na sua bochecha. Ela olhou maravilhada para minha pica e eu disse:

- Pode pegar que ela é toda sua.?

Ela segurou e começou a punhetar meio sem jeito, eu peguei na sua mão e mostrei como devia fazer. Ela aprendeu rápido, pois em poucos minutos estava batendo a punheta mais gostosa da minha vida e passou a chupar a minha pica como se fosse um pirulito, melando ele todo e lambuzando sua cara.

Ela se transformou numa fêmea sedenta, chupava e engolia a minha pica até aonde aguentava naquela boquinha deliciosa. Eu estava quase gozando e pedi para ela deitar e abrir bem as pernas.

Ela me lembrou que tinha que casar virgem e eu disse para ela relaxar que a gente ia só brincar. Dei uma bela chupada naquela bucetinha doce, gostosa e virgem.

Às vezes eu dava linguadas no seu cuzinho que piscava pedindo pica. Ela me confessou que na noite anterior tinha enfiado o dedo todo no cuzinho imaginado como seria.

Após chupá-la por uns 10 minutos ela começou a gemer mais alto e disse que estava sentido algo estranho. Começou a tremer e gozou pela primeira vez na vida. Senti-me realizado.

Ela se recuperou da gozada e postando se pediu para eu meter no seu cuzinho pois estava louca para sentir a minha pica entrando bem fundo no seu cuzinho e enchendo ele de leitinho quente.

Peguei um KY ,coloquei a camisinha, besuntei a pica e passei bastante naquele cuzinho lindo e carente de pica, encostei a cabeça da pica no seu anelzinho, tentei forçar mas era muito apertado, não passava de jeito nenhum.

Ela se abriu mais ainda, encostei de novo a chapeleta e forcei mais uma vez e entrou a ponta do pau. Ela deu um gemido, perguntei se queria que eu parasse e ela pediu para eu foder logo seu cu.

Ouvindo aquilo, empurrei com força e a cabeça passou, ela gritou mas pediu para eu fodê-la pois aquilo aquilo há muito tempo. Forcei e entrou tudo e ela gemendo disse para eu começar o vai e vem.

Não pensei duas vezes e comecei a estocar fundo naquele cu gostoso e apertado. Logo ela já estava acostumada, trocamos de posição, ela veio por cima e sentou na pica. Já estava acostumada, entrava e saía facilmente até o talo.

A coloquei na posição de frango assado e direcionei a pica na entrada do seu cu que agasalhou toda a minha pica até o talo. Soquei algumas vezes e a peguei de ladinho, sem parar de estocar no seu cuzinho.

Ela começou a gozar de novo, me pedindo para eu gozar na boca dela, que queria experimentar o leite de pica. Aquelas palavras me levaram à loucura e eu tirei a pica do cu e a camisinha e ela faminta, veio mamar deliciosamente a minha pica.

Esporrei forte, lambuzando todo o seu rosto e esfregando a pica naquela carinha de anjo, aparando a porra que escorria e direcionando até sua boca.

Ela tomou tudinho e me beijou, fazendo eu provar do meu gozo. Achei tudo o máximo, ela mostrou se uma putinha de primeira. Ficamos fodendo a tarde inteira e na hora de ir embora, ela me disse que queria fazer essa loucura diversas vezes até o casamento e que após sua primeira noite com seu marido, ela me daria a buceta.

Encontramos nos umas 12 vezes, eu sempre fodendo aquele cu gostoso. Ela casou tem um mês e assim que as férias do marido dela acabarem, ela já me ligou que agora vai estar tudo liberado!

Um comentário:

  1. crente também gosta de sexo, eu amo, sou evangélica e minha buceta só quer sexo, somos normais..

    ResponderExcluir