Pages

Um presente para ela

Meu é Leandro e minha esposa chama-se Claudia. Casados há 40 anos e muito felizes, um filhos adulto que não mora mais conosco. No início do nosso casamento éramos tímidos em relação a sexo, eu um pouco mais experiente, e com o passar dos anos nossa parceria se fortaleceu e crescemos muito nesta área, como em outras, tornando nos um só em nossas fantasias e realizações.

Sempre fomos totalmente um do outro até mesmo em nossas fantasias. Devido a problemas de saúde deixei de ser um amante ativo já que não consigo mais ereções permanentes, consigo apenas como dizem: “meia bomba”.

Ela está no ápice da sua sexualidade, com um corpo muito bem conservado para a idade de 60 anos. Isso me tortura por não poder dar a ela o que ela merece em termos de sexo. Meu amor é tão profundo que comecei a incentivá-la a encontrar alguém que a preenchesse nesta área, ela dizia que estava satisfeita comigo e não tinha mais idade para isso. Eu nunca cedi e não sabia como fazer. Aceitaria?

Até que um dia percebi que nosso sobrinho Lucas, que está sempre aqui nos visitando, era fixado em seus grandes seios. Pensando em alguma coisa entre eles sentia que tinha em mãos a solução.

Entendo que incesto é entre pais e filhos, entre irmãos, mas um sobrinho já é outro sangue, assim como primos. Em nossas conversas comecei a incentivá-lo a falar de sua vida sexual e ele confirmou minhas suspeitas dizendo que gostava de todas, porém as mais velhas o atraiam.

Primeiro passo. Agora como conseguir que ele realizasse meu sonho de dar prazer total a minha Claudia e num dia em que estávamos sozinhos disse ao Lucas :

– Vou te fazer algumas perguntas e quero que você seja muito sincero e verdadeiro.

– Ok! Tio jamais mentiria para você.

– Ótimo você me disse que gosta de mulheres mais velhas e vejo que você se fixa muito nos seios da Tia. Porque isso?

– Ô Tio fico sem jeito de responder!

– Não se preocupe não vou criticar nada, só quero a verdade afinal somos adultos (ele tem 26 anos) e íntimos ou já esqueceu nossas conversas. E então?

– Tio imagino a beleza que devem ser os seios grandes da Tia, tal como eu gosto! Me desculpe mas você pediu a verdade!

– Ótimo isso é um elogio como posso reclamar? E você já teve alguma fantasia com a sua Tia?

– Tá! Já tive sim desde adolescente, até me masturbava imaginando eles, mas sempre a respeitei muito!
– Bom vou explicar, eu e a sua Tia sempre nos demos muito bem no sexo e amadurecemos juntos nisso. Depois da minha doença fiquei, como dizem, meia bomba. Isso faz com que eu não dê a sua Tia o que ela estava acostumada. Já falei para ela encontrar alguém que lhe dê apenas sexo mas ela sempre leva na brincadeira e diz que se aparecer a oportunidade talvez aceite.

– Tio o que você está querendo insinuar?

– Acho que já que você sempre fantasiou com ela podemos tentar realizar seu sonho!

– Como assim tio?

– Veja, não considero sobrinho incesto, portanto vale a confiança do segredo entre nós.

– Você tá brincando, né Tio?!

– Não, não estou não! Isso a fará feliz e a mim também. Topas tentar?

– E como fazemos?

- Já pensei muito Lucas, confio muito em você. Não faria isso com ninguém mais. Como a sua Tia confia também vamos tentar realizar e espero ela ceda. Vá almoçar em casa. Sempre fantasiei com ela e um amigo qualquer, com meu conhecimento, a abraçando por trás na pia quando ela está lavando a louça. Isso sempre mexeu com ela. Então você pode fazer isso. Se ela rejeitar, insista. Se a rejeição não for convincente insista mais. Se não der certo diz que perdeu a cabeça. O máximo que pode acontecer é ela ficar brava por alguns dias e te perdoar. Caso consiga o objetivo vá em frente até onde der. Eu ficarei na sala e se ela te aceitar dou meu aval e deixo vocês sozinhos no quarto. Combinado?

O dia chegou. No feriado ele almoçou em casa e quando ela estava na pia encorajei-o e relutante ele foi lá e fez o que combinamos e se desenrolou o seguinte :

– O que é isso Lucas, você está me espremendo na pia!

– Tia só quero te fazer carinho. - Pelo que ouvi ele agarrou seus seios.

– Lucas para com isso olha a intimidade, sou sua Tia!

– Sinto que você gostou do meu abraço, sinta como estou em baixo. Há muito desejava fazer isso, até sonhava.

– Você é louco, seu Tio está na sala e pode nos ouvir.

– Tia ele sabe que fantasio com você desde adolescente.

– Lucas sua mão está sob minha blusa, pare! - Ele deve ter apertado seus seios pois ouvi um leve gemido.

– Tia será nosso segredo prometo. Eu te amo muito.

As palavras cessaram só ouvi a respiração deles, levantei e pela fresta da porta fiquei assistindo. Ela tentava escapar dele mas não fazia muito esforço até que ele a virou e beijou sua boca. Foi a gota que faltava.

Suas mãos percorriam seu corpo, seu abraço forte a imobilizava e ela começou a retribuir o beijo e reagir as carícias dele. Tomei coragem e entrei na cozinha.

– O que estão fazendo?

– Desculpe amor não é o que você pensa.

– É sim e aqui não é lugar para isso vão para o quarto! - Pronto o passo estava dado não tinha mais volta.

– Tem certeza que é isso que você quer amor?

– Não, tenho certeza que é isso que você quer, e precisa, então eu também quero. Ficarei na sala, me esqueçam e aproveitem!

Inseguros caminharam para o quarto de mãos dadas. Acham que eu fiquei na sala? Fiquei foi ao lado da porta entreaberta assistindo minha Claudia ser fodida por outro macho pela primeira vez. Despiram-se rápido entre beijos e carícias. Ele desceu a boca aos seus seios que tanto idolatrava.

-Tia sempre fui louco por seus seios você não sabe o que isso significa para mim!

E passou a morder e chupar enquanto sua mão descia ao ventre dela e quando tocou a buceta eu só ouvia os gemidos e suspiros da Claudia. Tudo caminhava muito bem.

– Ai Lucas assim você mata a sua Tia, veja como estou molhada. Ai seu dedo é gostoso demais, assim massageia meu grelinho. Ai que gostoso…

– Tia diz que você quer que eu te coma! Diz!

– Não! Vou fazer mais que isso! - Abaixando-se tomou o pau dele nas mãos. Passou a masturbar levemente com as duas mãos pois é bem grosso. Como o meu é mais fino pensei que ela perderia novamente a virgindade. Então ele puxou sua cabeça contra seu pau.

– Tia beija ele, beija!

Claudia abocanhou-o sem parar a masturbação e chupava forte, ele gemia e apertava sua cabeça contra seu corpo. Depois de uns minutos ele não aguentava mais.

– Tia se continuar vou gozar na sua boca! - Ela nem ligou e continuou, eu nunca gozei na boca dela. Nisso, gemendo mais alto ele grita:

– Tia tá vindo, tá vindoooo… ah delícia de chupada, vou gozar tia, to gozando, aiiiiii! - Claudia tirou o pau de sua boca e recebeu vários jatos nos peitos. Isso mostrou a ele quem mandava. Quando ele se acalmou ela disse:

– Vem, vem fazer a Titia gozar! - Deitou na cama com as pernas abertas – É a sua vez!

Lucas ajoelhou se, segurou suas coxas e foi beijando e subindo desde os pés e quando encontrou sua buceta Claudia deu um gemido alto de prazer. Há muito não ouvia esse gemido.

– Vem meu querido, faz a Tia gozar na sua boca.

Ele não teve dúvidas, enfiou o dedo entrando e saindo enquanto sua língua começava a trabalhar seu clitóris.

-Ai que louca que sou. Que delícia Lucas como você chupa gostoso parece seu Tio. Vai mais rápido, mais rápido, eu vou gozar na sua boca, ah delícia, estou gozando, gozandoooo, ah….. - Com o corpo tremendo Claudia atingiu um orgasmo intenso.

– Vem Lucas meu amor, vem fazer da Titia a sua putinha, me fode gostoso, quero esse pau inteiro dentro de mim!

Ele não perdeu tempo, colocou a cabeça na entrada da buceta e ficou ali esfregando, esfregando, batendo com ele nos lábios da buceta sem penetrar. Claudia gemia cada vez mais.

-Vem, não judia da Titia meu amor, enfia que eu não aguento mais de tanta vontade. Assim, ai devagar que não estou acostumada com a grossura, assim bem devagar.

Ele obedecia ao pedido da Claudia e foi enfiando um pouco e tirando, mais um pouco e tirando até que suas bolas encostaram na bunda dela. O malandro sabia como tirar proveito, ficou parado até que a Claudia começou a arquear o corpo serpenteando embaixo dele.

– Tia como sua buceta é quente e apertada, nunca comi igual! - E começou um entra e sai lento e foi aumentando o ritmo, aumentando, aumentando.

– Vai Lucas faz a Tia de putinha faz! Que pau gostoso, mete forte, mete forte na sua puta!

Eu estava acostumado ao comportamento dela sempre incentivado por mim mas ela estava mais solta do que nunca.

– Assim que você quer putinha, titia vadia, mexe essa buceta, toma, toma pica minha putinha!

– Ai Lucas eu vou gozar , mete mais forte, me aperta em seus braços, ai delícia, está vindo, ai o gozo tá vindo, to gozando, mete, mete mais. Ai assim , assim!! Ahhhhhh… - Seu corpo estremecia sob o peso dele e ela gozou mais uma vez em sequência.

– Vai Tia mexe mais, rebola no meu pau, vou te encher de porra. Ai, ai que gostosa, que buceta apertada tá mordendo meu pau. Vou gozar, vou gozar, eu te amo Tia. Ai que bom, tá vindo, toma toda minha poooorra putinha, toma!

E caiu sobre a Claudia, os dois ofegando e ainda gemendo. Voltei para o meu lugar, levantei fingido que não vi nada e fui para o banheiro me lavar. Não preciso dizer que gozei na calça sem me tocar.

Quando voltei ele já tinha ido embora e ela foi se lavar. Sentei no sofá e ela veio para mim, se aninhou em meu colo e não disse uma palavra. A noite, na cama me agradeceu.

– Seu louco, que loucura o que você fez, eu fiz! - Como se eu não tivesse visto.

– Você gostou, gozou bastante?

– Sim como uma louca, fiquei fora de mim. Foi muito bom.

– Então eu também amei e se quiser de novo pode contar com meu apoio.

– Eu te amo muito e agora muito mais com certeza vou querer o pau dele novamente é muito gostoso.

Dizendo isso ela viu que eu estava a meio pau, tomou meu pau na boca e chupou até eu gozar, desta vez dentro de sua boca. Era outra mulher.

Houve outras vezes e sempre com minha presença e até participação. Fora da cama o
comportamento dos três é o mesmo que sempre foi.
TAGs: , , , , , , , ,

XYZ

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário