Pages

A melhor foda da minha vida


Sou um baiano da capital, 22 anos, 1,83 m, 79 kg, moreno claro, cabelos castanhos, atendo pelo nome de MARCOS. Estava na casa de uma coroa, amiga da minha família e sogra de meu amigo, fazendo aqueles serviços que todo brasileiro faz em tempos de festa: pintura da casa, reformas, etc...

Estava muito suado e sujo de tinta devido as brincadeiras sacanas e ao clima gostoso de confraternização que se instalou, ajudado também pelas cervejas que nos relaxava.

Nada demais aconteceria para quebrar a rotina se não fosse a chegada de NÉIA - abreviatura de seu nome que prefiro não citar - uma morena cor de jambo, 3 anos mais velha que eu, 1,65 m, 50 kg, cabelos negros de cachinhos, pernas grossas, peitinhos durinhos, e uma paixão nacional de enlouquecer qualquer homem.

Ela chegou perto, cumprimentou a dona da casa, e deu uma rápida olhada em mim e em meus amigos, sem mais intimidades. Nesta noite minha mão, tampouco as de meus amigos tiveram sossego, foi muita bronha que rolou na intenção da gata!!!

No dia seguinte soube, por intermédio de uma amiga, que ela havia perguntado como era o meu nome e que queria me conhecer, aquela notícia me estremeceu, como conseguir atrair a atenção daquela mulher?

Bem, o fato é que fomos apresentados e convidados neste mesmo dia para um jantar na casa dessa coroa, nossa amiga. Conversamos bastante e lá pelas tantas da noite, já sob efeito dos drinques, percebi um pouco mais de ousadia da parte dela que já começava a rir muito e a me deixar louco com a visão que tinha da buceta dela sob aquela saia curta e justíssima que ela usava, meu pau neste momento, já estava soluçando de tanto chorar, mas nesta noite nada demais aconteceu, e nem nos dias em que se seguiram durante o carnaval.

Passei três dias jogando papo mole em cima dela, mas ela fazia jogo duro, usei então a tática do ciúme, agarrei a primeira gata que passou na minha frente, uma paulista curtindo férias e carnaval em Salvador e mandei um chupão que deixava expostas nossas línguas, uma enroscada na outra - carnaval na Bahia é assim: ninguém é de ninguém!!

Néia então ficou puta da vida, decidiu ir embora mais cedo, melhor para mim que fiquei na maior sacanagem com a paulistinha que também era muuito gostosinha.

Ficamos sem nos falar por exatos cinco dias, eu louco para poder chegar junto, mas sem querer dar o braço à torcer, foi quando, na noite que antecedia o dia da minha volta pra casa, estava eu voltando de uma de minhas farras noturnas certo que tinha sido a última do carnaval.

Era por volta de 3:00 h da madrugada, quando, a uns 100 metros de casa, percebi na escuridão a silhueta de uma mulher, era Néia vestida em um macacão de lycra super justo que mostrava claramente todas as suas curvas, inclusive as dos lábios da sua buceta, que me deixou maluco!! Ela chegou perto de mim e falou com autoridade :

- Você não vai embora antes de ser meu!!

Fiquei sem voz, ela me agarrou e chupou minha língua quase que engolindo, eu a enlacei pela cintura e com as duas mãos apertei e senti aquele rabo arrebitado, carnudo e durinho, ela gemeu ainda com sua boca colada à minha.

Ela então virou-se costas pra mim e pude sentir como a sua buceta estava meladinha, enquanto ela enfiava a mão na minha bermuda, segurava e apertava a minha pica dura, e sussurrava:

- Aiii!! Como é grossa essa tua pica!!

Agachou-se rapidamente e, ajoelhada, começou a engolir a minha pica com dificuldade devido à sua grossura, e que delícia era ver e sentir a minha pica enterrada na sua boca pequena e quente, que já estava cheia daquele chorinho que lubrifica o cacete e escorria até em seu pescoço.

Meu quadril fazia movimentos inconscientes de vai e vem enquanto o resto do corpo estava totalmente travado, o gozo veio forte, o primeiro jato lhe desceu goela abaixo, então, tirei rápido, e passei a gozar ainda em seu rosto e seios, uma vez que adoro ver minha porra escorrer pelo corpo da minha parceira! As pernas não resistiram, e caí sentado à sua frente com o pau semiduro.

Ela se levantou e começou a fazer um strip-tease com a única peça que usava, jogou o macacão na minha cara e pude perceber que a área que escondia aquela buceta estava toda melada, entrei no clima de sacanagem e passei a lamber o caldinho da buceta dela que estava no macacão enquanto ela enfiava os dedos na gruta meladinha.

Podia até ouvir aquele barulhinho gostoso que fazia dos seus dedos martelando o seu buraquinho melado, não aguentando mais fui de joelhos até ela e passei a chupar e a penetrar fundo a buceta melada de Néia enquanto ela gemia e grunhia baixinho.

Deitei de costas e ela agachou se sobre a minha boca deixando aquela buceta e o seu cu expostos aos meus carinhos. Ela começou então a rebolar e a esfregar a boceta na minha boca e em pouco tempo gozou despejando aquele caldinho quente e gostoso na minha boca.

Caiu deitada ao meu lado como que desmaiada, mas aí eu já estava mais aceso que nunca e me posicionei sobre ela oferecendo minha boca melada para ela que lambeu como uma cadela lambe os filhotes , enquanto a minha pica rompia a entrada daquela buceta meladíssima que agasalhou facilmente a minha pica inteirinha, até o talo.

Ela então ergueu as pernas como um frango assado, fazendo assim entrar cada centímetro da minha pica, abraçou me forte e pediu gemendo:

- Vai bem lá no fundo meu macho, vai! Mete tudo!! Soca essa pica gostosa na minha buceta, soca!!!

Atendi com muito tesão ao seu pedido, e em pouco tempo estava gozando de novo, ela em seguida, num gemido bem alto e prolongado gozou também.

Ficamos ali um pouco, parados, eu sobre ela, completamente encharcados de suor, respirando ofegantemente. Ela olhou no meu rosto , me deu um beijo, levantou, vestiu-se e saiu deixando me caído no chão, nu como um cachorro vagabundo sem rumo.

No dia seguinte fui embora para minha casa, certo de que não mais a encontraria. Alguns meses depois encontrei-a novamente e a partir daí surgiu um relacionamento que durou 7 meses de pura sacanagem e fodas arrasadoras. Vou contar um pouco mais em outros contos, porque em um só não dá!

Tem a primeira vez que comi aquele cuzinho, que nunca vou esquecer. Nos dias atuais, Néia está frequentando uma igreja evangélica, e não faz mais aquelas putarias gostosas, eu estou meio que enrolado com uma garota de 15 anos que me leva a loucura, mas nunca deixo de homenagear minha morena com umas bronhas bem gostosas.
TAGs: , , , , ,

Admin02

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário