LightBlog

Vou me identificar como Mulato, como o próprio apelido já diz, sou mulato, tenho 21 anos, olhos castanhos, cabelos pretos curtos, um bom po...

A vigilante Sanitária


Vou me identificar como Mulato, como o próprio apelido já diz, sou mulato, tenho 21 anos, olhos castanhos, cabelos pretos curtos, um bom porte físico e um membro que, sem falsa modéstia, muitas mulheres só acreditam vendo, por isso nem vou entrar em detalhes. Como eu moro sozinho, costumo ficar bem à vontade dentro de casa.

Outro dia estava vendo algumas fotos que me foram mandadas por uma garota que conheci pela internet, eram fotos extremamente sensuais, quando a campainha tocou, era uma mulher da vigilância sanitária, eu estava sem cueca, mas não havia me tocado que estava excitado.

Abri a porta e ela identificou se como Ana Carla, vigilante sanitária, permiti a sua entrada e notei um certo sorriso em seu rosto, foi quando percebi minha, já fraca, mas ainda presente ereção, pedi licença e fui ao meu quarto vestir uma cueca.

Quando voltei pude parar e admirar um pouco aquela vigilante, ela era bem gostosa, uma ruiva, no máximo 1,70 m, que usava uma calça jeans bem apertada, o que realçava seu delicioso bumbum, e que bumbum!

Bem redondinho, volumoso e arrebitado, fiquei hipnotizado, ela virou se e acho que percebeu que eu a olhava, mais uma vez ela sorriu, e perguntou meio que ironicamente:

- Está observando alguma coisa? Respondi com a maior cara de pau que sim. Ela então me perguntou o quê. Eu disse que ela tinha um corpo maravilhoso, principalmente o bumbum.

Dessa vez ela riu mesmo, não foi um mero sorriso, e deu alguns passos em minha direção, fiquei parado, ela então largou a prancheta e levou sua mão à minha barriga e perguntou:

- Quando eu cheguei aqui você estava apontando uma coisa maravilhosa para mim, o que houve com ela?

Eu segurei a mão dela e guiei por dentro de meu short, não foi preciso guiar por muito tempo, quando sentiu sua mão tocar a minha pica, ela soltou um leve gemido, chegando a fechar os olhos, demonstrando prazer de segurar a minha pica.

Aproveitei e levei minhas mãos aos seus seios por sobre a camisa, que cuidei de tirar vagarosamente, deixando-a apenas de sutiã, ela realmente era bem atraente, tinha uma barriguinha bem lisinha e ao tirar seu sutiã, seus seios praticamente não se abalaram, continuaram rijos e já esboçando os biquinhos durinhos comprovando seu tesão.

Ela já punhetava a minha pica por dentro do short, livrei me dele e da minha cueca, deixando a pica dura totalmente livre para ela, que, sem o largar, procurou a minha boca para um beijo cheio de tesão, deixei minha língua roçar a sua antes de nossos lábios se colarem, elas se roçavam com extrema volúpia.

As minhas mãos alisavam, massageavam a apertavam a sua maravilhosa bunda deixando meus dedos passearem por seu reguinho, mesmo estando ela ainda com a calça, eu então a joguei no sofá e continuei o nosso beijo.

Deixei minha língua passear pelo seu pescoço e fui descendo, até seus seios onde dediquei a cada um com o máximo de atenção, abocanhava cada um e deixava escapar de minha boca, dando lambidas nos biquinhos, ela gemia feito louca, comecei a dar bastante atenção aos biquinhos, comecei a passar minha língua sobre eles, com bastante agilidade, deixando-os mais durinhos, então eu os colocava entre os meus lábios e os mordia suavemente.

Ana Paula de olhos fechados, só fazia gemer muito e gostoso, ela então levantou se e disse que precisava de um banho, tinha trabalhado o dia inteiro e estava muito suada, aquilo cortou um pouco meu tesão, mas não me desanimou muito, mostrei a ela onde era o banheiro e fui para o meu quarto pegar uma toalha para ela. Quando eu já me retirava para a sala, ela me agarrou por trás, beijou minha nuca e me virou, segurou a minha pica e perguntou:

- Onde você pensa que vai?! Eu vou precisar de uma ajuda para me esfregar!!

Dito isso me arrastou, segurando a minha pica, até o banheiro, chegando lá, eu me abaixei, e abri o botão de sua calça, comecei a baixar o zíper bem lentamente, a virei de costas, ela inclinou um pouco o corpo eu arriei sua calça lentamente e fiquei enlouquecido com o que vi.

Ana Paula usava a calcinha toda enterrada no reguinho da sua deliciosa bundinha, alias, bundinha não, bundona, havia superado o que eu esperava. Comecei a beijar seu bumbum, ela se inclinou mais uma vez, me propiciando uma visão maravilhosa de sua buceta por trás.

Tirou a última peça que faltava, virando se de frente para mim, que delícia de buceta, era muito bem aparada, com poucos pelos, todos ruivos, dei um beijo na sua buceta e entrei no box com ela, foi um banho demorado cheio de beijos, apertos, toques e carícias.

Fiquei um tempo parado diante dela, ela enxugava os cabelos, fui em sua direção, a beijei mais uma vez e a carreguei, levando-a até minha cama, onde recomeçamos nossas preliminares, desci com minha boca por seu pescoço, seios, barriga e comecei a beijar a parte interna de suas coxas, me aproximado de sua buceta que exalava uma mistura de cheiro perfumado de pós-banho com cheiro de fêmea no cio.

Mergulhei minha língua fundo na sua rachinha, Ana Paula soltou um gemido forte e levou suas mãos aos seus seios, tocando os, acariciando os e apertando os, fiquei um bom tempo chupando a sua deliciosa e suculenta rachinha, comecei a subir pelos lábios da sua buceta procurando seu grelinho, onde aumentei a agilidade de minha língua gradativamente, eu o sugava, até mordia, arrancando o primeiro gozo dela.

Ela gemia e grunhia descontroladamente, puxando a apertando o meu rosto de encontro a sua buceta toda melada, ficamos assim até o corpo dela parar de estremecer um pouco. Ela puxou me para cima dela e deu um beijo bem sacana, apenas nossas línguas se tocaram.

Mostrando se bem ágil também, ela se virou, posicionando se por sobre meu corpo, e foi a vez dela de deixar sua língua passear pelo meu corpo todo, começando pelos meus mamilos, deixando os bastante duros, arrancando gemidos meus, e foi descendo pela minha barriga.


Quando encontrou a minha pica, ela deixou sua língua deslisar por toda sua extensão, da cabeça até a base, o que me enlouquecia, depois de algumas lambidas ela tratou de engolir a cabeça deixando me ensandecido, soltei um gemido mais forte, ela olhava para mim, e fazia uma cara de safada que me excitava muito.

Ela começou a punhetear a minha pica com a sua deliciosa boca, deixando a língua roçar a glande, eu segurei sua cabeça e comecei a guiar seus movimentos, ela engolia o máximo que podia a minha pica e não parava de chupar, como ela chupava gostoso!!

Eu anunciei meu gozo, pensei que ela desistiria daquela deliciosa chupada, mas isso só a fez acelerar seus movimentos e o primeiro esguicho forte da minha porra foi bem no fundo da sua boca, depois disso ela tirou a minha pica da boca e deixou minha porra melar todo o seu rosto.

Eu praticamente gritava de tanto prazer, tinha sido uma chupada deliciosa, provavelmente o melhor que já experimentara na vida, ela esfregava a minha pica toda melada na sua boca, seu rosto e seios, aquilo me enlouquecia.

Ela então tratou de limpar bem a minha pica com sua boca, iniciando praticamente um novo boquete, eu então pedi que ela colocasse a sua buceta na minha cara, ela perguntou se eu tinha alguma camisinha, e como um bom solteirão, sempre deixo uma por perto.

Atendido seu pedido, ela voltou e colocou sua buceta em cima do meu rosto e tratou de iniciar uma nova chupada na minha pica, dessa vez, tendo a vista maravilhosa de seu cu todo rosado na minha frente, não resisti, e tratei de conduzir um dedo até lá, arrancando gemidos e suspiros dela.

Como ela havia gostado tratei de massagear o seu botãozinho, enquanto minha língua passeava pela sua buceta toda melada, e ela, por sua vez, tratava de punhetar a minha pica com a sua boca, deixando me com um enorme tesão novamente.

Tendo massageado seu cuzinho por um tempo, tratei de forçar a entrada de um dedo nele, Ana Paula soltou a minha pica, gemeu forte, e jogou seu quadril para trás, ajudando ainda mais na entrada do meu dedo, fiquei fodendo aquele cuzinho, sentindo ele apertar meu dedo, piscando de tesão.

Ana Paula já não me chupava mais apenas jogava seu quadril para trás, gemendo, rebolando e esfregando a sua deliciosa buceta sobre o meu rosto, e tendo o seu cu fodido pelo meu dedo, não demorou muito e ela voltou a gozar, dessa vez seu gozo foi mais forte, chegando a deixar seu corpo cair, sufocando me com a sua buceta. Após restabelecer se, ela Pediu:

- Por favor, me fode! Eu não aguento mais!!

Aquilo me enlouqueceu, ela pegou meu pau, colocou a camisinha e veio por cima, eu estava na beira da cama, nessa posição ficava praticamente sentado, ajudei-a a guiar a minha pica até a sua buceta, que aos poucos foi engolindo e agasalhando a minha pica todinha.

Devidamente já acomodada com a minha pica toda enterrada na sua buceta, ela começou a cavalgar, eu agarrei sua cintura, guiando os movimentos de seu quadril, ela começou bem lento, rebolando sempre que chegava à base da minha pica, deixando me doido, aos poucos foi aumentando o ritmo, eu levei minha boca à seus seios, e empurrava meu quadril para cima ajudando a enterrar mais fundo a minha pica.

Sua bunda batia com força na minha virilha, gemiamos muito, então abracei seu corpo contra o meu e sem tirar de dentro dela, virei nossos corpos, ficando dessa vez por sobre ela, fodendo-a num gostoso frango assado.

Segurei uma perna sua, bem aberta, e comecei a estocar, à princípio bem devagar e ritmado, enfiava completamente tudo e quase que tirava-o completamente também, ela gemia feito louca, eu enfiava o pau fundo e rebolava junto com ela, com ele fundo na sua buceta.

Comecei a aumentar o ritmo aos poucos, chegando a estocar com extrema velocidade, meu saco batia na sua bunda fazendo bastante barulho, eu gemia junto com ela, eu diminuía e aumentava o ritmo, fodendo gostoso aquela buceta ruiva gostosa.

Ela anunciou outro gozo, eu tratei de enfiar meu pau mais fundo em sua racha, e empurrar ele mais fundo, arrancando um gozo mais forte de Ana Paula. Um pouco cansado daquela posição, pedi à Ana Paula que ficasse de quatro para mim, queria comê-la por trás, desfrutando da visão daquela maravilhosa bunda, ela então me atendeu.

Vendo-a com aquela bunda arrebitada, todinha para mim, não resisti, rocei a cabeça de meu membro no seu cu, Ana Paula gemeu, mas pediu me que não, disse que não aguentaria a dor, no momento eu aceitei e conformado, desci meu pau e enfiei de vez na sua buceta.

Soltamos um gemido alto e forte, ela se encarregou de arrebitar mais a bunda e a empurrou para trás, eu então segurei sua cintura, e enterrei meu pau fundo dentro daquela racha gostosa e comecei a meter violentamente, comecei a dar palmadas na sua bunda.

Ana Paula gemia muito e jogava a bunda para trás, ajudando a entrada de meu membro na sua buceta, parei meu corpo, e deixei que apenas esse movimento seu, forçasse a entrada da minha pica na sua buceta.

Não foi preciso muito tempo para eu anunciar meu gozo, agilmente ela virou se e deitada, tirou minha camisinha e pediu que eu gozasse em seus seios, eu punhetei meu pau com a sua ajuda, e larguei os primeiros esguichos em seus seios, pescoço, ela ergueu o pescoço e colocou o pau na boca servindo-se do restinho de esperma que ainda jorrava da minha pica, cheguei a tremer com essa gozada.

Passado um tempo, onde descansamos um pouco, Ana Paula se vestiu e despediu-se de mim, dizendo que não era para eu procurá-la, e nem ia me procurar, era para deixar ao acaso, que por sinal se fez presente 3 meses depois, e desta vez ela não opôs resistência alguma na hora em que encostei a cabeça da minha pica no seu cu.

0 comentários: