LightBlog

Meu nome é Adilson, 31 anos, moreno, 1,77 m, 84 kg, bonito, gostoso, moro em Belo Horizonte/MG, sou casado e tenho um filho de 8 anos. Tenh...

Comi a casada no sítio


Meu nome é Adilson, 31 anos, moreno, 1,77 m, 84 kg, bonito, gostoso, moro em Belo Horizonte/MG, sou casado e tenho um filho de 8 anos. Tenho muitas fantasias, principalmente de participar de troca de casais, swing, ménage e sou louco para ver outro homem fudendo a minha mulher, só que ela é muito certinha e não gosta desses tipos de coisas, só na hora que estamos na cama é que ela me deixa falar sobre essas coisas, depois ela corta meu barato.

Não sou santo e tenho alguns casos por aí, mas o que me atrai mais são as mulheres casadas e mais maduras do que eu. Há pouco tempo atrás, eu, minha mulher e meus cunhados fomos convidados para uma festa de aniversário de um vizinho de minha sogra em um sítio em Pedro Leopoldo/MG e, chegando lá, fomos apresentados aos outros convidados e começamos a beber e nos divertir.

O proprietário e a aniversariante já estavam um pouco bêbados, pois estavam no sitio desde muito cedo. Já era quase 1:00 h da manhã quando fomos convidados a permanecer no local para dormir já que muitos convidados haviam ido embora e tinham quartos sobrando.

Quando todos estavam dormindo, eu e minha mulher, que já estava um pouco alterada por causa da bebida, fomos andar pelo sitio para darmos uma trepada, paramos próximo a cerca e começamos os amassos, abaixei a calça dela até os joelhos e comecei a chupar sua buceta e a enfiar um dedo.

Ela gozou logo e então comecei a fodê-la, eu estava fodendo ela muito gostoso, quando percebi que alguém estava nos observando, aí que o tesão aumentou mesmo, comecei a fazer movimentos mais firmes e socava tudo dentro dela chamando ela de putinha, vagabunda, safada etc... coisa que ela adora, até que falei que ia gozar e ela pediu para gozar na sua boca.

Enchi a boca dela e porra e ainda continuei de pau duro, só que ela quis parar pois estava com medo e com sono, ela nem percebeu que tinha alguém nos olhando. Fomos para o quarto e eu não conseguia dormir devido ao tesão e calor. Voltei para a varanda, abri uma cerveja e estava bebendo sozinho quando ouvi um barulho vindo da cozinha.

Fui ver o que era e deparei me com a esposa do aniversariante, que disse ter levado um susto, pois também ouvira barulho e achou que fosse ladrão, disse que tentara acordar o marido, só que ele estava muito bêbado para poder acordar naquela hora. Convidei-a para sentarmos e tomarmos um copo de cerveja juntos na varanda.

Ela recusou no começo, disse que estava pronta para dormir e que já tinha bebido demais, insisti mais um pouco e ela aceitou. Comecei a elogiar o sitio, disse que era lindo, bem grande e muito bem tratado e disse que durante o dia era melhor ainda devido a piscina.

Eu me assustei quando ela disse que durante o dia era bem melhor sim, só que não dava para fazer certas coisas, porque daria para todos verem. Fiquei todo sem graça e ela falou que tinha visto eu e minha mulher fudendo e que nunca tinha visto uma foda igual a nossa, pois o marido só gosta do tradicional.

Perguntei a ela se tinha gostado mesmo e ela disse que sim e que havia ficado muito excitada. Perguntei então se ela gostaria de fazer o mesmo e ela disse que eu era doido, que ela nunca havia traído o marido e não pretendia fazê-lo.

Ela é muito gostosa, baixinha, magrinha, peitinhos redondinhos, bundinha arrebitada, branquinha e loirinha. Eu já estava de pica dura e ela percebeu, pois eu estava de short e sem camisa e disse que ia dormir, pois estava com sono.

Quando ela se levantou não pude deixar de notar que os biquinhos do peito dela estavam durinhos, foi ai que não perdi tempo. Levantei me da rede e fui para cima dela igual urubu na carniça, ela ficou parada.

Eu comecei a agarrá-la e a beijá-la no pescoço e ela dizia para eu parar, pois podia chegar alguém, até mesmo o marido dela ou a minha mulher. Só que eu não conseguia e, de tanto eu insistir, ela começou a ceder e foi enroscando se mais e mais em mim.

Peguei ela pelo braço e a levei para o mesmo lugar que tinha fodido a minha mulher, abaixei o short dela e comecei a acariciar sua buceta por cima da calcinha e a chupar seus seios, e que seios, redondinhos e durinhos. Ela começou a se soltar mais e pegou no minha pica por cima da bermuda e começou a apertá-lo.

Eu tirei a pica para fora e pedi que chupasse, ela abaixou se e começou a chupar meio sem jeito, eu acho que era por falta de pratica, então segurei a pela cabeça e fui enfiando e tirando o pau de dentro daquela boquinha, já estava quase gozando e pedi ela pra parar.

Abaixei me e comecei a chupar sua boceta que já estava toda melada, sou um chupador nato, adoro chupar uma buceta. Quando passei a língua no seu grelinho essa mulher se transformou numa verdadeira puta e começou a falar:

- Aiii!! Iiissooo!! Me chupa, seu puto safado!! Me faz gozar na sua boca, seu puto!! Aiii!! Nunca alguém me chupou assim!! Não para, seu porra!! Tô quase gozando!! Aiii!!! Chupa mais, seu filho da puta!!! Chupaaa!!!!

Ela acabou de falar e gozou na minha boca, que delícia de gozada, gozou tanto que não parava de tremer e da sua buceta jorrava um líquido viscoso e delicioso. Ficamos quietos nos beijando durante mais ou menos uns 5 minutos, até que não aguentei mais e pedi para ela se virar, ela ficou meio preocupada, pois além do tamanho da minha pica, já estávamos lá fora um bom tempo, eu disse para não se preocupar e relaxar.

Ela se virou e eu comecei a pincelar a cabeça da minha pica na sua buceta toda melada até deixa-la doidinha, enfiava só a cabecinha e tirava, até que ela deu um empurrão para trás e a minha pica foi completamente engolida por aquela buceta quentinha e apertadinha, fiquei enfiando e tirando uns quinze minutos até que ela falou para não parar que ela iria gozar novamente.

Comecei a socar forte até que ela gozou igual uma desvairada, ela gritava, xingava, me chamava de puto, safado, e que queria ficar comigo a noite toda ali sendo fodida, continuei estocando firme e forte e quando disse a ela que iria gozar.

Ela me pediu para gozar na boca dela igual eu havia feito com a minha mulher, enchi a boca dela de porra e ainda fiz ela engolir tudo, ela quase vomitou mas engoliu tudinho, até a última gota.

Nos vestimos e voltamos para casa antes que alguém percebesse alguma coisa. No outro dia acordamos e nos cumprimentamos como se nada tivesse acontecido, só que nossos olhares eram diferente um pro outro.

Depois deste dia já sai com ela mais uma vez, pois, ela é vizinha da minha sogra e tem um salão de beleza perto da minha loja, só que o marido dela fica na cola. Estou aguardando uma nova oportunidade, pois, ela me disse que da próxima vez ela me daria o cuzinho, pois ele ainda é virgem, mas ela sente o maior tesão no cu e é louca para ser enrabada.

0 comentários: